Flash - nov 12, 2019

Tudo que rolou no RH Summit 2019 - Parte 2

O RH Summit, evento online e totalmente gratuito, aconteceu nos dias 21 a 25 de outubro e contou com a participação de 70 palestrantes e 25 mil espectadores nas 5 trilhas de conhecimento em que as palestras estavam divididas. Profissionais reunidos para discutir e acelerar o crescimento do seu negócio por meio das pessoas.

Tudo RH Summit 2019 - resumão

Separamos as principais informações transmitidas aos participantes divididas nas 5 trilhas: Branding e Contratação, Desenvolvimento de Pessoas, Analytics pra RH, Times de Alta Performance e Futuro do Trabalho.

 

Analytics pra RH

Essa trilha contou com os palestrantes: Carolina Fuhrmeister (Grou), Cesar Nanci (Pulses), Mônica Hauck (Solides), Rafael Bueno (Team Culture)

Na trilha de Analytics pra RH, as entrevistas e palestras abordaram aspectos importantes de análise das pessoas principalmente no recrutamento e comportamentos na empresa. As principais informações foram:

  • As soft skills são o principal valor na visão do que é um talento hoje nas empresas ou projetos no mercado de trabalho, presentes em caso de empreendedorismo também. Elas estão muito mais relacionadas para entender quem são os talentos e isso é o que diferencia das hard skills que são a base da formação do profissional (formação e conhecimento base).
  • No mundo atual, as hard skills podem se tornar obsoletas, já que um curso ou formação realizada há 2 anos já pode estar desatualizado com todas as mudanças frequentes e avanço cada vez maior das tecnologias. Nesse ponto de vista, as soft skills tendem a ser mais sólidas, robustas e estáveis.
  • O RH não precisa trabalhar tanto com a subjetividade sem métricas para ser considerado mais humano. Quanto mais for possível mapear, metrificar, mensurar, entender e analisar dados das pessoas com que a gente trabalha, mais é possível ajudar essas pessoas a terem um desenvolvimento ainda melhor no ambiente de trabalho. Não há nada mais humano que isso.
  • A verdadeira potência está na soma da inteligência humana e da inteligência artificial.
  • Humanizar é levar em consideração as necessidades do outro e para isso é muito importante entender as competências comportamentais dos indivíduos para agir com melhor assertividade e melhorar seu desenvolvimento.
  • Profissionais de RH e liderança de organizações não podem trabalhar com rótulos sobre as pessoas e precisam tornar esse olhar mais plural, mais múltiplo sobre o real potencial realizador de um ser humano.

Times de Alta Performance

Essa trilha contou com os palestrantes: Daniel Costa (BWG), Tais Targa (TTarga), Anderson Nielson (Resultados Digitais), Bárbara Lima (Menvie), Marcela El-Moor (NW2), Lauro Madalosso Nunes (Appus HR)

Os palestrantes dessa trilha passaram informações relevantes sobre como proporcionar melhores resultados da equipe para a organização:

  • Quando você dá espaço para as pessoas se internalizarem (meditação, yoga e atividades relacionadas), as respostas estão dentro dela e é onde a criatividade se encontra. Pessoas felizes são mais criativas.
  • O profissional de Recursos Humanos está cada vez mais preocupado em ajudar o outro a se reconhecer, ajudar no melhor direcionamento em determinadas situações e em como desenvolver cada vez mais aquele profissional.
  • Mais importante que conectar máquinas, é conectar pessoas. Cultura é feita por pessoas que são o coração da empresa. O colaborador engajado é aquele que tem propósito no coração e estratégia na cabeça. Um time de alta performance é onde a conexão está impecavelmente constituída. Essa conexão precisa de: confiança, propósito, comunicação efetiva, colaboração, solidariedade, tecnologia e, principalmente, um líder 4.0 (com visão de alta performance).
  • A palavra solidariedade é a destruição do ego individual para a construção de um ego coletivo para que todos cresçam juntos e se desenvolvam cada vez mais na equipe. Olhar para o crescimento coletivo acima do individual.
  • Problemas de comunicação na equipe podem gerar: ansiedade excessiva, mais competição que colaboração, colaboradores que não se sentem ouvidos, gestores sem tempo para equipes, protocolo, formalismo e falta de empatia, muitos e-mails e reuniões ineficientes, dificuldade para dar/receber feedback e retrabalho

Futuro do Trabalho

Essa trilha contou com os palestrantes: Yuti Vellinho (Gummy), Thiago Rotta (Microsoft), John R. Delaney (Xerpa), Josef Rubin (Conquer), Leonardo Barros (Tangerino), Andressa Paltiano (Experta Corporate), André Forastieri (Tambor Digital), Flavio Ludgero (Officeless)

Nessa trilha de conhecimento, foram abordados temas relacionados à tecnologia nas organizações e o futuro das carreiras presentes nesse ambiente. Os tópicos mais interessantes para citarmos foram:

  • As empresas observam cada vez mais a oportunidade de os processos de negócios se tornarem algo digital. O digital acelera engajamento com cliente final, agiliza coleta de informações para monetização, aumenta produtividade, colaboração, transforma processos internos e até elimina o que não é necessário. Isso abre muitas oportunidades para as empresas.
  • O mercado tem demanda muito grande das oportunidades e é importante que os profissionais desenvolvam novas skills tecnológicas para fazer toda a diferença no ambiente.
  • Essa mudança de as empresas estarem se tornando mais digitais influencia diretamente na cultura organizacional. Profissionais com habilidades de uma cultura ágil de crescimento têm a habilidade de reconhecer o erro e evoluir com ele. Atualmente essa skill é extremamente importante para o desenvolvimento tanto individual quanto coletivo da equipe como um todo.
  • Para analisar, coletar e tomar decisões assertivas em relação aos dados tecnológicos disponíveis, temos que ter um objetivo muito bem definido para entender se aqueles dados realmente são relevantes para resolver aquele problemas.
  • Na cultura ágil, há espaço para validação antes da entrega final, que faz com que as pessoas tenham espaço para errar para se sentirem confortáveis quando erram. Errar não faz a pessoa menos inteligente. O erro é um aprendizado e crescimento.

Esses foram os principais tópicos abordados nas últimas trilhas do RH Summit 2019. Para todos esses tópicos, empresas como a Flash Benefícios oferecem soluções inovadoras para agregar valor para sua empresa.

Confira clicando aqui as outras 2 trilhas de Branding e Contratação e Desenvolvimento de Pessoas.