Flash - jun 23, 2021

Estratégias para se tornar um BP consistente e parceiro da liderança (de verdade)

O terceiro dia do RH Summit teve a participação de Matheus Fonseca, HR manager da Movile, que contou um pouco sobre o business partner (BP) no que diz respeito às suas práticas e implicações dentro da organização e seu relacionamento com a liderança.

image2-Jun-23-2021-07-36-54-35-PM

O Business Partner é o profissional que está na estrutura do RH, conhece o setor e entende sobre negócios, atuando como uma ponte entre as suas áreas ao levar demandas do negócio para o setor de RH e vice-versa. Dessa forma, nasce a possibilidade para direcionar e criar novos produtos.

O BP também diagnostica e resolve problemas conhecidos ou antecipa os futuros, trabalhando na tentativa de encurtar caminhos e gerar mais resultados por meio das práticas de people. A missão desse profissional varia de acordo com o momento da empresa e pode assumir diversos papéis.

“O BP tem a missão de antecipar a necessidade da empresa e conectá-la à atuação do RH” – Matheus Fonseca

O foco do Business Partner também é ajudar o RH a ser mais assertivo, tendo capacidade de trocar ideias com esse setor ao identificar pontos que podem não resolver determinado problema, além de direcionar os produtos de RH.

Além disso, o business partner precisa ter uma visão crítica e capacidade de questionar o que as áreas de negócios e RH estão fazendo, trazendo provocações para que ambas estejam em plena conexão. Apesar de comum, não é ideal que a figura do BP dentro de uma empresa seja apenas para apagar incêndios, uma vez que isso está na superficialidade.

Segundo Marcelo, não é necessário ser alguém de RH para assumir o cargo de BP; especialistas de outras áreas podem migrar para essa função. Por ser um cargo com uma junção de skills, elas podem ser desenvolvidas tanto no RH como no próprio negócio. Porém, os conhecimentos sobre essas áreas devem estar juntos e ser desenvolvidos.

No painel, ainda foi destacado que maturidade não é tempo de carreira, mas sim de vivências, sendo definido quatro níveis de maturidade para entender a função de um BP: solucionador de problemas, people coach, conselheiro e conector.

O BP é o profissional que fornece insumos e questionamentos, mas não é sua função tomar decisões pelo líder ou assumir qualquer outra responsabilidade que seja da liderança. O líder precisa ter o papel de protagonista em qualquer processo do time. Caso isso não ocorra, esse líder pode criar certa dependência do BP, quando o ideal é que ele desenvolva suas decisões com o alicerce das ferramentas que o BP traz e suas provocações.

Não é recomendado ter a figura do business partner ainda no momento de estruturação da empresa. Caso alguém tenha interesse em assumir essa função, programas de mentoria com pessoas da área são recomendados.